Castelo dos Bugres. 4


Um domingo com um lindo sol prometendo aparecer, foi assim que nos animamos a levantar depois de ter ficado até meia noite na festa de primeira comunhão do nosso afilhado.

É difícil levantar cedinho com disposição, depois de ter voltado tarde de uma festa, esse é um aprendizado pra vida. Agora, mas difícil ainda, é fazer sua filha de 02 anos e meio levantar. Foi o que aconteceu no último domingo.

Combinamos com os amigos de fazermos a Trilha do Castelo dos Bugres em Joinville, saindo as 08h de casa. Levantamos as 06:40 para organizar as coisas e garantir que não nos atrasaríamos. Mochila da Manu, roupas reserva para ela, comida, bastante água (porque prometia fazer muito calor), repelente, protetor solar, roupas reserva para nós, mochila para a mamãe e bastão de caminhada.

Tiramos ela da cama as 07:30 para arrumá-la, quer dizer, tentamos…

A Manu resistiu e muito para sair da cama, esperneava, se agarrou nos travesseiros e cobertor, disse que queria dormir. Confesso que se não tivéssemos assumido um compromisso, talvez teríamos cedido.

Depois do trocá-la ainda dormindo, era hora de ir. Passamos no mercado, pegamos alguns pães e mais água, fomos ao encontro dos amigos Lu e Sidnei e seguimos viagem. Até chegarmos ao destino, enquanto a Manu dormia tranquilamente no carro, pegamos garoa, um pouco de chuva e sol.

Chegando no estacionamento que dá acesso a trilha, as margens da Estrada Dona Francisca, garoava forte! Aí pesa e muito a responsabilidade de pai e mãe, vamos arriscar e fazer a trilha mesmo sabendo que na semana anterior ela foi tratada com antibióticos por conta de uma infecção de garganta ou abortamos a ideia da trilha e voltamos pra casa frustrados?! Realmente fazer uma atividade ao ar livre com criança as vezes é desafiador.

Bom, mesmo com a incerteza, depois da garoa diminuir, resolvemos arriscar. Ainda bem que arriscamos…

A Manu como sempre curtindo muito, disse que aquela trilha era muito bonita. Talvez porque diferente de outras, esta trilha é mais fechada. Passamos por dentro do rio, árvores caídas, cruzamos pontes, precisamos cuidar com a cabeça para não bater nos galhos e para não escorregar nos troncos colocados em pontos de muito barro.

Conversamos bastante, a Manu cantarolando, contemplando bichinhos como o caracol que ela adora, borboleta, ouvindo os pássaros e sentindo os pingos d’água que por vezes não sabíamos se era chuva ou somente pingos desprendendo-se das folhas úmidas.

Após 01h e 40min de caminhada entre subidas e descidas, lama e resbalões, por sorte sem nenhum tombo, chegamos ao cume! Mesmo com o tempo fechado de neblina, chegar ao cume é sempre uma sensação maravilhosa de conquista, de satisfação pessoal!

Resolvemos então descer até as “torres do castelo” para fazermos um lanche. Em um lugar incrível, escondidos do vento e da neblina por grandes rochas, pudemos descansar, bater papo e apreciar a bela vista que por vezes deu as caras, mas insistia em se esconder atrás das nuvens. A Manu brincando com a terra e sujando a todos (principalmente a Lu), observando as formigas, tocando nas pedras e brincando no escorregador natural.

Depois de muito brincar, trocamos de roupa na pequena (porque estava realmente muiiiito suja), fez seu xixi, na natureza (como não podia ser diferente, heheh) e iniciamos a descida.

Durante a descida, paramos no rio para que ela pudesse brincar na água, coisa que adora! Fez conchina com as mãos para tomar a água gelada, se molhou, brincou de jogar pedrinhas, andou descalço pela árvore, tudo na mais pura alegria.

Antes de seguirmos, trocamos sua roupa novamente, pois estava molhada (como já havia um pouco de sol a deixamos de manga curta e descalço pois esquecemos o calçado reserva no carro). Todos prontos, continuamos a descer.

Finalizando a trilha, chegando ao carro, começou a esfriar, troca de roupa novamente na menina para não se resfriar. Um grande desafio é vestir a filha conforme o nosso clima! Hahah

E para encerrar o dia com chave de ouro, como fizemos esforço físico, um pouco cansados e sujos, fomos todos muito felizes tomar caldo de cana e comer umas empadinhas.

Registrando esta aventura, imagens e edição de vídeo feito com carinho pelo amigo: Sidnei Muller, vale a pena conferir: https://www.youtube.com/watch?v=Yu0qz5Q_iPE


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 pensamentos em “Castelo dos Bugres.